sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

A unidade da raça , constituição do homem e parte material

A unidade da raça


A unidade da raça se baseia em dois fatores distintos: Todos os homens são da mesma espécie (unidade ontogenética) e todos os homens de hoje procedem de um casal humano (unidade filogenética).
Assim esta claro que pertencemos, todos a uma espécie, pois somos originários de um casal apenas

A constituição do homem


A natureza humana é constituída de duas partes: A material e a imaterial, já que a finalidade da criação do homem.
No livro de genesis , no capitulo primeiro vimos o homem com o propósito da criação, e no segundo capitulo.como o primeiro da história.
O primeiro pode ser resumido nesta palavra ,criação e o segundo, nesta outra palavra paraíso.


Parte Material

Este corpo humano, criado do pó da terra, tem uma dimensão física que possui 208 ossos e 5oo músculos.O peso de sangue de um adulto é de quinze quilos. O coração originalmente tem o diâmetro de 15 centimetro.Bate 70 vezes por minutos ,4,200 por horas 100.00 mais ou menos em cada vinte e quatro horas 40.000.000 por ano,sem interrupção , cada pulsação desloca 44 gramas de sangue; esse deslocamento em 24 horas, é de 5.850 quilos diários; esse órgão fantástico faz circular o equivalente a dois mil galões de sangue pelo espaço de 12 mil milhas.
video

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Viagens entre Minas gerais e Rio de Janeiro







As setenta semanas de Daniel (video)


Tipologia a igreja no Deserto

Introdução:

O que é tipologia ?
A palavra "tipologia" é de origem grega. Deriva-se do substantivo typos, termo usado no mundo antigo para indicar :  a) a marca de um golpe; b) uma impressão, a marca feita por um cunho - daí o sentido de figura, imagem e c) modelo ou padrão, que é o sentido mais comum na Bíblia.
   Descrição – tipo de texto em que se faz um retrato por escrito de um lugar, uma pessoa, um animal ou um objeto. A classe de palavras mais utilizada nessa produção é o adjetivo, por sua função caracterizadora. Numa abordagem mais abstrata, pode-se até descrever sensações ou sentimento.
Na Bíblia o modelo é usado em dois sentidos distintos: (1) a correspondência entre duas situações históricas, tais como Adão e Cristo (cf. Rm 5.12-21); (2) a correspondência entre o padrão celestial e seu equivalente terrestre. Exemplo: o original divino por trás do tabernáculo terrestre (At 7.44; Hb 8.5; 9.24). Há várias categorias - pessoas (Adão, Melquisedeque), eventos (o dilúvio, a serpente de bronze), instituições (festas), lugares (Jerusalém, Sião), objetos (altar de holocaustos, incenso), ofícios (profeta, sacerdote, rei). "A tipologia bíblica, portanto, envolve uma correspondência análoga em que eventos, pessoas e lugares anteriores na história da salvação tornam-se padrões por meio dos quais eventos posteriores, pessoas, etc. são interpretados".

O que é um antitipo ?
Anti-Tipo é o cumprimento da pré-figuração, (gr antítypos) 1 Tipo oposto. 2 Teol Realidade de que um tipo é o símbolo profético: Cristo era o antítipo do cordeiro pascal. 3 Figuras que representa outra. antítipo é a realidade representada pela figura. Assim, Adão é o tipo e Cristo é o antítipo. O prefixo grego “antí” tem, pelo menos dois significados.
Ex: A expressão antisemita que tem o sentido de contra os semitas ( os judeus).
É um dos sentidos da palavra anticristo (I Jo.2:18), que significa contra cristo.
Mas o outro sentido da palavra “anti” é “estar no lugar de”, o que significa que o anticristo se apresentará para tomar o lugar de Cristo.
TABERNÁCULO A MORADA DE DEUS

“E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.” (Ex 25:8)

O Tabernáculo – o tabernáculo foi erigido sob a liderança de Moisés, no deserto. E isso de conformidade com o modelo que lhe foi mostrado em visão, no monte Sinai. O tabernáculo era o lugar permanente da presença de Deus entre seu povo. “E o meu tabernáculo estará com eles, e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo”. (Ez 37:27) .
A PLANTA DO TABERNÁCULO
O tabernáculo tinha um comprimento de 100 côvados por 50 côvados de largura.
ÁTRIO:
Altar de Bronze
Pia de Bronze

LUGAR SANTO:
Altar de Incenso
Mesa dos Pães
Candelabro

SANTOS DOS SANTOS:
Arca (Vara de Arão, Tábuas da Lei, Maná)
Propiciatório
 O escritor aos Hebreus é ainda mais enfático quando declara que todos os detalhes do tabernáculo são “figura e sombra das coisas celestiais” (Hb 3:5) Quem olha para o tabernáculo vê:
-          Cristo
-          A Igreja
-          O Cristão

  “...Figura e Sombra... das coisas celestes” (Hb 8.5). 
Antiga Aliança

-          Altar de Bronze
-          Pia de Bronze
-          Candelabro
-          Mesa dos Paes
-          Altar do Incenso
-    Propiciatório (arca)



Nova aliança
Cruz de Cristo – o centro de toda a obra redentora. “Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado”. (I Co 2:2)   
O Templo de Salomão –  O templo de Salomão estava localizado na eira de Araúna, também chamada Omã (II Cr 3:1). Essa eira ficava no Monte Moriá, o local onde Isaque quase foi sacrificado por Abraão (Gn 22:2). Foi ali que Davi instalou o altar do futuro templo de Jerusalém (II Sm 24:24-25). Interessante notar que a madeira e as pedras foram preparadas de antemão (I Rs 5:18). O comprimento total do interior do templo era de, aproximadamente, trinta metros; a largura total era de, aproximadamente, quinze metros; e o Santo dos Santos ficava num nível superior ao do Lugar Santo.

O Segundo Templo – No segundo ano do reinado de Dario I, os profetas Ageu e Zacarias despertaram Zorobabel para que renovasse as suas atividades reconstrutoras (Ed 5:1). De conformidade com o decreto de Ciro, o templo de Jerusalém deveria ser reconstruído com trinta metros de altura. O templo foi completado no sexto ano do reinado de Dario I, no mês de Adar. Tornou-se conhecido como o Segundo Templo, e continuou servindo até o ano de 20 ªC., mais ou menos. Perdurou mais de cem anos do que o primeiro templo, o templo de Salomão.

O Templo de Herodes – O trabalho de reconstrução do santuário (o Lugar Santo e o Santo dos Santos), foi iniciado no décimo oitavo ano do reinado de Herodes (20-19 ªC.). As pedras usadas eram as pedras calcárias brancas, nativas da região, cortadas com precisão e polidas. A estrutura antiga foi removida até à rocha, deixando-a nua, e foram lançados novos alicerces. O Lugar Santo  tinha vinte metros de comprimento por dez metros de largura, e trinta metros de altura. No seu interior havia um candeeiro de ouro, a mesa dos pães da proposição e o altar do incenso. O Santo dos Santos estava separado do Lugar Santo por um véu, e sua dimensões eram de dez metros em quadrado, por trinta metros de altura.

A igreja no deserto:

A Igreja esta representada no Antigo Testamento por três Tipos Especiais:
1) Em Israel livre da Escravidão no Egito (Êxodo capítulos 12 a 15);
2) Na Peregrinação de Israel pelo Deserto;
3) Na Posse de Israel na Terra Prometida.
Na trajetória do êxodo ( saída) do povo de Israel no Egito, narra perfeitamente o acontecimento futuro da igreja, saindo do mundo( Egito), sua peregrinação, (Deserto) e conquistando a terra prometida, ( a nova jerusalém).O tabernaculo é o simbolo tipológico da igreja no antigo testamento, uma representação futura da igreja na dispensação da graça.  
O Tabernáculo foi uma estrutura física construída pelo povo de Israel,sob a supervisão de Moises, cerca 1450 A.C. O  Tabernáculo e os materiais de sua construção foram especificados em grande detalhe à Moisés por ordem de Deus no Monte Sinai, e isto a algumas semanas depois do povo de Israel ter saído do Egito (o Êxodo). O Tabernáculo foi uma construção portátil, feita por mãos hábeis e transportado por uma tribo (Os Levitas) através dos 40anos de peregrinação no deserto.                                                                                                                   QUEM ERA MOISÉS?
filho de Anrão, neto de Coate e bisneto de Levi. Sua mãe, Joquebede, era irmã de Coate. Moisés era três anos mais moço do que seu irmão Arão. Miriã, irmã deles, era alguns anos mais velha. — Êx 6:16, 18, 20; 2:7.
Moisés viveu 40 anos no Egito, enganado, achando que era neto de faraó, estudou nas melhores faculdades, não falava nada, vivia nos benefícios que o Egito lhe trazia.
O Egito é uma tipologia do mundo, um grande engano, ilusão, fantasia, a bíblia diz que o mundo jaz no maligno.

MOISÉS FOGE PARA O DESERTO (Ex. 2:12)
Certo dia Moisés se envolve em um assassinato, e foge para o deserto. Muitos pelas frustrações do mundo (Egito) correm para a igreja procurando socorro.
O deserto é uma tipologia da igreja. O deserto é o monte Horebe, o monte de 
Deus. saímos do mundo e viemos para a igreja procurando a Deus.                     

A SARÇA ARDIA EM FOGO, MAS NÃO SE CONSUMIA                                                  A sarça é um arbusto, uma árvore natural. Moisés via o fogo nesta árvore, porém ela não se consumia.
Um fogo que queima e não consome, só tem um: o fogo do Espírito Santo de Deus.
O verdadeiro avivamento é o fogo que ilumina e não consome.               
MOISÉS, UM TIPO DE CRISTO
E o personagem referido em maior número de livros da Bíblia. Seu nome aparece em trinta e um dos livros do volume sagrado e em 847 vezes. O historiador César Cantu disse dele: “Moisés, o maior homem que a humanidade conheceu".
E chamado: servo do Senhor (Êx 14.31); fiel em toda a sua casa (Nm 12.7 e Hb 3.5); homem de Deus (Dt 33.1); profeta que não teve igual (Dt 34.10,11); o escolhido de Deus (Sl 106.23) e outros títulos.
Como tipo de Cristo apresenta muitos pontos:
1. Ameaçado de morte e preservado por Deus (Êx 2.2-10; Hb 11.23). Jesus também (Mt 2.13-15).
2. Dominou a água do mar (Êx 14.21) - Jesus (Mt 8.26).
3. Alimentou uma multidão (Êx 16.15,16; Jo 6.31)- Jesus (Jo 6.11,12).
4. Teve seu rosto iluminado (Ex 34.35) - Jesus (Mt 17.1-5).
5. Os irmãos estiveram contra ele (Nm 12.1) - Jesus (Jo 7.5).
6. Intercedeu pelo povo (Êx 32.32) - Jesus (Jo 17.9).
7. Escolheu 70 auxiliares (Nm 11.16)-Jesus (lc 10.1).
8. Esteve a sós com Deus 40 dias em jejum (Êx 24.18) - Jesus (Mt4.2).
9. Andava com 12 tribos - Jesus com doze apóstolos.
10. Apareceu depois da morte (Mt 17.3) - Jesus (Atos 1.3).



A PEREGRINAÇÄO DE ISRAEL COMO UM TIPO DA VIDA CRISTÄ.
A escravidão no Egito. Um tipo da escravidão do pecado.
Moisés como libertador. Um tipo de Cristo.
O êxodo. Um tipo de abandono da vida de pecado.
O cordeiro da páscoa. Um tipo de Cristo, o cordeiro de Deus.
A perseguição de Israel por parte de Faraó, 14:8-9 um tipo das forças do mal que perseguem aos crentes.
A divisão do mar Vermelho, 14:21. Parte dos impedimentos é removida.
A coluna de nuvem e fogo, 14:19-20. Um tipo da presença divina com os crentes.
O cântico de Moisés, 15:1-19. Um tipo dos cânticos de vitória espiritual.
A multidão mista, 12:38. Um tipo da gente mundana na igreja.
Mara e Elim, 15:23-27. Um tipo das experiências amargas e doces da vida espiritual.
As panelas de carne, 16:3. Um tipo dos prazeres sensuais da vida passada.
O maná, 16:4. Um tipo de Cristo, o Pão da Vida.
A água da rocha, 17:6. Um tipo de Cristo, a Água da Vida, I Coríntios 10:4.
Sustentar erguidas as mãos de Moisés, 17:12. Um tipo da necessidade da cooperação entre líderes.
Na estrutura do tabernáculo - seus utensílios, suas ordenanças, as vestes sacerdotais, a arca da aliança, etc. - estão muitos tipos de Cristo e da igreja.
O MODELO DA NOSSA REDENÇÃO
Nada se constroe, - máquina, barco ou casa - sem que se elabore um plano e se esboce um modelo. Nossa salvação obedece ao plano elaborado por Deus antes da fundação do mundo, o modelo o encontramos em Êxodo. - "Êxodo é o quadro histórico que reflete a obra da Graça Divina na redenção e restauração do homem pelo próprio Deus e para Si mesmo, por meio de Jesus Cristo, nosso apóstolo (Moisés) e sumo sacerdote (Aarão)". A história do Êxodo vive em todas as almas que almejam libertar-se da influência corruptora do mundo. Partindo deste ponto, observa-se que o livro é humano desde seu primeiro até o último verso. Os fatos ai narrados são figuras e foram escritas para nossa admoestação. Estudamos o livro de Êxodo para compreender o método de Deus para salvação do pecador, e os gloriosos propósitos desse mesmo Deus na realização dessa tarefa.

Analisamos a luz das sagradas escrituras a mensagem que Deus,  nos deixou sobre a construção do tabernaculo, seus utencilios, sua trajetória e sua entrada em Canaã.No livro do exodo Deus disse a Moises no capitulo 25: 8 Os israelitas deverão fazer uma Tenda Sagrada para mim a fim de que eu possa morar no meio deles.
O Tabernáculo


O Verbo se fez carne
 João 1:1,2 No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus.O tabernaculo revela cristo encarnado , o verbo se fez carne.
A tenda  o (santuário) chamado também de tabernaculo é um tipo de cristo e também da igreja, como veremos mas adiante, percebemos que os seus utensílio representa cristo, em algum aspecto. Havia três entrada na tenda.
1)    A primeira entra dava para o átrio que ficava o altar do holocausto e a pia de bronze.
 
2)A segunda entrada dava no lugar santo e dentro dele havia o candelabro de ouro a mesa dos Paes da preposição e o altar do incenso.

  
3)Na terceira entrada dava no santo dos santos (lugar santíssimo) onde estava a arca da aliança.

Cada entrada revela-nos um segredo que fora exposto pelo apóstolo Paulo em suas epistolas.
Cada peça do tabernaculo tem um significado tipológico veremos a seguir:
O altar do holocausto - Jesus nossa sacrifico.    
A pia de bronze - Jesus o nosso purificador.
O candelabro - Jesus a luz do mundo.
A mesa dos pães da preposição - Jesus o pão  vivo que desceu do céu.
O altar do incenso - Jesus o nosso intercessor.
      A arca da aliança - Jesus o nosso salvador, simboliza a presença de Deus
João 14:6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida ninguém vem ao pai se não por mim.
1)    Na entrada que dava no átrio fala-nos de cristo o caminho, a porta das ovelhas .
2)    Na segunda que dava para o santo lugar Jesus é a verdade.
3)    E na terceira entrada que dava no lugar santissimo, ele é a vida

 I corintios 13:13 Portanto, agora existem estas três coisas: a fé, a esperança e o amor, mas o  maior destes  é o amor.
1)  No átrio Jesus é o autor da nossa fé. Nosso encontro  com o cristo no calvário de onde cremos por fé.
2)    No lugar santo Jesus é a nossa esperança onde obtêm mas comunhão, tambem o candelabro que nos da a luz para vermos, o pão que nos alimentar e o altar do incenso que é as nossas orações.
3)    No santo dos santos temos Jesus o amo.
       I Aos tessalonicenses5:23 Que Deus, que nos dá a paz, faça com que vocês sejam completamente dedicados a ele. E que ele conserve o espírito, a alma e o corpo de vocês livres de toda mancha, para o dia em que vier o nosso Senhor Jesus Cristo.
1)    Na entrada que nos leva ao átrio vemos a natureza humana de cristo o corpo aonde ocorreu o sacrifico.
2)    Na segunda entrada que da para o lugar santo, fala-nos da alma, a sede  das emoções, o nosso eu interior.
3)    No lugar que nos leva ao santo dos santos o espírito, que nos permite ter comunhão.

 As dez praga no Egito, demostra-nos o juízo que ocorrera após o arrebatamento da igreja a grande tribulação, o Egito era uma nação politeísta  (que tem a crença em vários deuses), assim como o mundo é politeísta. A nação de Israel estava peregrinando no Egito, como Deus falara ao patriarca Abraão no livro de Gen 15: 13:14 Então, disse a Abrão: Saibas, decerto, que peregrina será a tua semente em terra que não é sua; e servi-los-á e afligi-la-ão quatrocentos anos.  Mas também eu julgarei a gente à qual servirão, e depois sairão com grande fazenda. A nação de Israel era monoteísta. (que tem a crença no único Deus)  Deus havia feito a promessa, que iria visitar o seu povo e tira-los do Egito ,como falara ao patriarca Abraão,passados os quatrocentos anos Deus cumpri a sua promessa e levanta um libertador chamado Moises que fora educado na corte do Egito e instruído em toda a ciência do Egito. Moises é um tipo  libertou o povo de Israel do Egito, uma escravidão física, Jesus é o antitipo que nos liberta do cativo espiritual. João 8:36 Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livre   Gálatas 5:1 Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão.
Na saída do povo de Israel do Egito narra a passagem bíblica que muitas outras nações estava subjugada pela política de escravidão que hávia no país, isso se percebe no livro de números no capitulo 11:4 E o vulgo, que estava no meio deles, veio a ter grande desejo; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar e disseram: Quem nos dará carne a comer ? Na passagem acima , que ora acabamos de ler de números 11:4 outras nações estrangeira estava saindo com a nação de Israel do Egito,conjecturo que aproveitaram a circunstancia, um Egito destruído pelo juízo de Deus. Essa nação dos midianitas e ismaelita (Vulgo, turba, populacho).Foram as que induziram Israel a pecar, E o vulgo, que estava no meio deles, veio a ter grande desejo; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar e disseram: Quem nos dará carne a comer? O apostolo Paulo diz que um pouco de fermento leveda toda a massa.
Ora vejamos o que Deus fala ao seu servo Moises no livro de Êxodo 16 na epigrafe assim diz (Deus manda maná). Então, disse o Senhor a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá e colherá cada dia a porção para cada dia, para que eu veja se anda em minha lei ou não. E acontecerá, ao sexto dia, que prepararão o que colherem; e será o dobro do que colhem cada dia. obs: o povo de Israel era obstinado de coração desejaram, assim que saíram do Egito comer de um outro alimento essa tipologia do maná nos revela algo surpreendente, alimento do céu simbolizado pelo maná logo na saída se evidencia sua apostasia de abandonar a ordem de Deus e voltar a um lugar que acabara de estar como escravos .Mas tarde, quando o legislador, profeta e juiz e tambem sacerdote Moises, vai ao monte por ordem divina, antes mesmo de completar o tempo determinado por Deus ele recebe a ordem do Senhor para descer por que o povo já esta corrompido, num período de quarenta dias o povo já hávia se afastado de sua fé em Deus, êxodo 32 Mas, vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, ajuntou-se o povo a Arão e disseram-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses que vão adiante de nós; porque quanto a este Moisés, a este homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe sucedeu. E Arão lhes disse: Arrancai os pendentes de ouro que estão nas orelhas de vossas mulheres, e de vossos filhos, e de vossas filhas e trazei-mos. Então, todo o povo arrancou os pendentes de ouro que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a Arão, e ele os tomou das suas mãos, e formou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição.êxodo 33 ;7:8:9:10 Então, disseram: Estes são teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito. Então, disse o Senhor a Moisés: Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem corrompido, e depressa se tem desviado do caminho que eu lhes tinha ordenado; fizeram para si um bezerro de fundição, e perante ele se inclinaram, e sacrificaram-lhe, e disseram: Estes são os teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito. Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo obstinado. Agora, pois, deixa-me, que o meu furor se acenda contra eles, e os consuma; e eu farei de ti uma grande nação. Moises intercedeu pelo povo e Deus o senhor uso de misericórdia.:
Fica claro a fragilidade do homem mediante as ilusões do mundo, as coisas atrativas que o mundo nos oferece Jesus venceu o mundo em Matheus 4:8;9:10 a tentação no deserto satanás lhe diz: Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostro – lhes, todos os reinos do mundo e a glória dele. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então, disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás.Deus falou a Moises para que levantasse uma serpente de metal e todo aquele que fora acometido com a picada da serpente e olhar , para a serpente que esta suspensa na haste viveria. Hebreus 12:1;2 Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. A serpente na haste era um tipo do senhor na cruz, olhando nos para seremos salvos. Salmos 121: 1 Elevo os  olhos para os montes: de onde me virá o socorro?  meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.

Números 21 A serpente e o escorpião no deserto tipifica, as lutas mas Jesus disse em Lucas 10: 19;20 Eis que vos dou poder para pisar serpentes, e escorpiões, e toda a força do Inimigo, e nada vos fará dano algum. Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estar o vosso nome escrito nos céus . nas águas amarga de Mara o povo não pode beber , Moises lança um tronco de arvore e as águas se tornam potável. O tronco simboliza a morte a natureza humana de cristo que se deu por nos. o povo no deserto murmura com Moises por causa da cede, Deus fala a Moises para tocar na rocha Moises fere duas vezes , Deus o reprova, a rocha tipificava cristo que foi ferido por nos, e nos deu de beber , da fonte que salta para a vida eterna.Na trajetória do povo no deserto, rumo a terra prometida. Deus fala a Moises que a geração de vinte anos para cima não entraria na terra que maná leite e mel , pela rebeldia e murmuração do povo. Jesus nos advertiu dizendo que os derradeiros seriam primeiro. Isso tipifica , representa os primeiros na fé pode ficar para traz sem salvação e os últimos a chegar na frente sendo os primeiros.O apostolo Paulo afirma que todos foram batizados na travessia do mar vermelho, simbolizando o que surgiria na dispensação da graça instituída por João batista , que veio com o batismo  para o arrependimento.haja vista que o batismo, já existia como forma de purificação no judaísmo. O povo de Israel no Jordão  passou com o pé enxuto (seco). Essa passagem tem um significado muito importante que representa um novo nascimento na pessoa de Jesus cristo. Em João 3:3;4;5 Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura, pode tornar a entrar no ventre de sua mãe e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. A igreja esta no mundo mas não pertence o mundo ela é o sal da terra e a luz do mundo. Salmos 34:19 Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas J.Na epistola de João 2:15: 16: 17 Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.Matheus 24;35 O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.Como já falamos mas acima o Egito tipifica o mundo, O rei do Egito Faraó Tipifica o diabo  aquele que oprime as nações (mundo).Jesus diz: Se o mundo vos aborrece, sabei que, primeiro do que a vós, me aborreceu a mim. João 15:18: 19 Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos aborrece. A mensagem verdadeira e sem rodeios de um homem que veio para endireitar o caminho para o Senhor. "Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia e dizia: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus" (Mt 3.1-2). João Baptista ou João Batista, também chamado de João, o Batizador foi um pregador judeu, do início do século 1, citado por inúmeros historiadores, entre os quais estão Flávio Josefo e os autores dos quatro evangelhos da Bíblia. Segundo a narração do evangelho de São Lucas, João Batista era filho do sacerdote Zacarias e Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus. Foi profeta e considerado pelos cristãos como o precursor do prometido Messias, Jesus Cristo. Batizou muitos judeus, incluindo Jesus, no rio Jordão, e introduziu o batismo de gentios nos rituais de conversão judaicos, que mais tarde foram sustentados também no cristianismo. Esta igreja formada por João Batista tinha uma mensagem forte e ungida pelo Espírito. Os judeus acreditavam na previsão de Daniel a respeito do Messias, e consideravam que a chegada desse prometido iniciaria uma nova época – a do Reino do céu. A Igreja teve seu início no deserto, de uma forma incompreendida pelo mundo e ainda hoje sobrevive “no deserto”. Ela é um projeto de Deus que foi planejado antes da fundação do mundo e foi revelada a nós nestes “últimos dias”. No grego, a palavra igreja, é “ekklesia” cujo significado literal é “tirados para fora”. A Bíblia nos revela que “o mundo inteiro jaz no maligno” (I Jo 5:19), isto é,  a humanidade é passivamente controlada pelo diabo e seus anjos . Deus tirou para fora do mundo a Igreja – o seu povo chamado de “nação santa”, “sacerdócio real”. O diabo tem acesso ao mundo, mas “as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja” (Mt. 16:18b). Ela tem de Deus a benção, a proteção, o amor, a sua presença, pois Jesus afirmou que ele andaria no meio da Igreja e o Espírito Santo a conduziria até o seu arrebatamento, quando a levaria para o céu. O texto de Mateus 3, nos revela que ela foi fundada no deserto pois, João Baptista, “Voz do que clama no deserto” foi o precursor de Jesus e a sua mensagem era: “arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus”. (Mt. 3:1-3). Jesus também pregava essa mensagem por onde ia, nas ruas, sob árvores em barcos, no deserto, em jardins, apesar de existirem muitas Igrejas naquela época (o templo e as sinagogas), mas Ele não “cabia” dentro delas e “o deserto” se tornou à sala principal da operação de Deus em todos os tempos. A Igreja de Deus na terra é muito mais importante para a humanidade do que foi a arca para os antes-diluvianos. Naquela ocasião, Deus anunciou o fim e disse a Noé que construísse uma arca para que Ele preservasse a vida na terra. Foram cento e vinte anos e sete dias antes que Deus aplicasse o juízo e quem entrou na arca foi salvo (Gn. 6 e 7). Jesus também alertou sobre o final dos tempos, quando voltará numa hora em que menos esperamos (leia Mt. 24:36-44) e a Igreja é “a arca” da salvação. Sabemos que Igreja hoje não é o edifício, mas a reunião de cristãos de todos os tempos e de todos os lugares, constituindo o “Corpo de Cristo”. Escrevi resumidamente sobre alguns trechos que nos revela segredos do tabernaculo que prefigura Jesus e o próprio crente, a tipologia é um assunto muito vasto no antigo testamento.
O objetivo dessa apostila é demonstrar como a igreja que é um antitipo do tabernaculo, Assim como o mesmo sairá do Egito do (mundo) faz sua trajetória e peregrina no (deserto) e entra no repouso, (Jerusalém celeste) heb 4:9 Portanto, resta ainda um repouso para o povo de Deus.O repouso que o povo de Israel obteve foi transitório e terrestre mas a igreja terá um repouso eterno na nova jerusalém apoc 21:1 Então vi um novo céu e uma nova terra. O primeiro céu e a primeira terra desapareceram, e o mar sumiu.
2 E vi a Cidade Santa, a nova Jerusalém, que descia do céu. Ela vinha de Deus, enfeitada e preparada, vestida como uma noiva que vai se encontrar com o noivo.
3 Ouvi uma voz forte que vinha do trono, a qual disse: — Agora a morada de Deus está entre os seres humanos! Deus vai morar com eles, e eles serão os povos dele. O próprio Deus estará com eles e será o Deus deles.


                                      Ev: Carlos nascimento.
Miss: Viviane Gleice da costa Nascimento.

Galeria dos falsos profetas

CUIDADO

A Bíblia adverte:

“Igualmente hão de surgir muitos falsos profetas, e enganarão a muitos...” Mateus 24:11

“Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores.” Mateus 7:15

“Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.” II Pedro 2:1

“Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos vêm de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo.” I João 4:1


Agora você está na...



GALERIA DOS FALSOS PROFETAS

O Papa - Catolicismo Romano
Ellen G. White - A profeta da Igreja Adventista do Sétimo Dia
Cesar Castellanos - O Profeta do Movimento do G12
Joseph Smith - O profeta da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Charles T. Russell - O profeta das Testemunhas de Jeová
John S. Scheppe - O profeta do Movimento Só Jesus
Witness Lee - Igreja Local
Kip McKean & Elena Mckean - Os profetas da Igreja de Boston
Frank Shermann Land - O profeta da Ordem De Molay
William Marrion Branham - O profeta do Tabernáculo da Fé
Allan Kardec - O profeta do Espiritismo Moderno
David Brandt Berg - O profeta dos Meninos de Deus ou Familiar do Amor
Anton La Vey - O profeta da Igreja de Satanás
Christian Rosenkreuz - O profeta do Rosa Cruz
Harvey Spencer Lewis - O profeta da AMORC
Helena P. Blavatsky & Annie Besant - As profetas da Teosofia
Mary Baker - A profeta da Ciência Cristã
Masaharu Tanigushi - O profeta da Seisho-No–Ie
Toruchira Miki - O profeta da Perfecty Liberty
Mokiti Okada - O Profeta da Igreja Messiânica
Shri Hans Maharaj Ji - O profeta da Missão da Luz Divina
Maharishi Mahesh Yogi - O profeta da Meditação Transcendental
Bhagwam Shree Rajneesh - O profeta do Movimento Bhagwan
Werner Erhard - O profeta do Est
Victor Paul Wierville - O profeta do Caminho Internacional
Herbert W. Armstrong - O profeta da Igreja de Deus em Worldwide
Emanuel Swedenborg - O profeta da Igreja da Nova Jerusalém
Charles Sherlock Fillmore & Myrtle Fillmore - Os profetas da Unidade
Sun Myung Moon - O profeta da Igreja da Unificação
A.C. Bhactivedanta Swami Prabhupada - O profeta dos Hare Krishna
Bahá-Allah - O profeta do Bahaísmo
Abulgasim Mohammad - Maomé - O profeta do Islamismo
Sidarta Gautama - O profeta do Budismo
Confúcio - O profeta do Confucionismo
Raimundo Irineu Serra - O profeta do Santo Daime
Manoel Jacintho Coelho - O Profeta da Cultura Racional
Luiz de Mattos - O profeta do Racionalismo Cristão
Iuri Thais - Inri Cristo - O profeta da Igreja da Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade
Alziro Zarur - O profeta da Legião da Boa Vontade
Eurico Mattos Coutinho & Vó Rosa - Os profetas da Igreja Apostólica
Jasmuheen - A profeta do Viver de Luz
Lafayette Ron Hubbard - O profeta da Cientologia
...


SATANÁS - O inspirador dos falsos profetas

Doutrina do Espirito Santo


  
Doutrina do Espirito Santo ( pneumatologia)


       
QUEM É O ESPÍRITO SANTO?
Espírito Santo é o termo usado para traduzir o termo hebraico Ruach HaKodesh, utilizado na Bíblia hebraica (Velho Testamento) para se referir à presença de Deus na forma experimentada por um ser humano. No Cristianismo o Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade. Entre os cristãos, o Espírito Santo também é chamado de CONSOLADOR ( do grego Parácleto), que significa alguém enviado para ficar ao lado de outrem (João 14.16).
A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
Duas palavras identificam a personalidade do Espírito Santo: Santo e Espírito. Santo (do Grego Hagios): Venerável, Digno de Veneração, Sem pecado, Puro, Reto, Oposto a toda impureza. Espírito (do Grego Pneuma): Vento, Sopro, Óleo, Respiração, Vida, Poder.
(1)    "Pai, Filho e Espírito Santo" (Mt 3.16,17;28.19).(2) Ele é uma Pessoa    com quem podemos nos comunicar e nos familiarizar. (Fp 2.1; 2 Co 13.13).
PRÉ – PENTECOSTAL – O Espírito Santo preexistia como a terceira
pessoa da divindade, e nessa qualidade esteve sempre ativo, mas o período que antecedeu ao dia de Pentecoste não foi a época de sua atividade especial. O período do Antigo Testamento foi de preparação e espera.
Encontramos uma notável diferença existente em sua ministração no Antigo e no Novo testamento. Ele é referido por 88 vezes no Antigo Testamento, e mais de metade desse número de vezes somente no livro de Atos, enquanto que em todo o N.T. ele é mencionado mais de 03 vezes para cada referência que lhe é feita no Antigo.
Durante esse período pré-Pentecostal, o Espírito descia sobre os homens apenas temporariamente, afim de inspirá-los para algum serviço especial, e deixava-os quando essa tarefa ficava terminada.
O Espírito santo no Velho Testamento
O Espírito Santo estava ativo no Velho Testamento. Ele participou da criação: "A terra... estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas" (Gênesis 1:2). Quando Deus disse, "Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança", ele estava provavelmente falando ao Filho e ao Espírito, desde que todos os três trabalharam ativamente para criar o homem (Gênesis 1:26). O Espírito revelou as palavras do Velho Testamento a homens como Davi: "O Espírito do Senhor fala por meu intermédio, e a sua palavra está na minha língua" (2 Samuel 23:2). O Novo Testamento confirma que "homens... falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo" (2 Pedro 1-21; veja Hebreus 10:15; Atos 28:25). O

ESPíRITO ATUANDO ENTRE OS PROFETAS

Os profetas no Velho Testamento tinham a tarefa de entregar mensagens do Espírito de Deus para o povo. Era importante para o povo saber a diferença entre um falso profeta e o verdadeiro profeta de Deus. O termo "Espírito Santo" é usado nos Salmos e em Isaías para separar o Espírito de Deus de qualquer outro espírito, tanto de homem quanto de Deus (Salmo 51:11; Isaías 63:10-11). Um falso profeta não tinha o Espírito Santo. Um profeta que tinha uma mensagem do Espírito Santo deveria ter o caráter de uma pessoa obediente a Deus. O povo poderia reconhecer o falso profeta pela avaliação de seu caráter bem como pela mensagem que ele entregava. Os profetas escreveram sobre o Espírito de duas maneiras significativas. O Espírito inspirava profecia que seria conhecida novamente no futuro, quando Jesus estivesse na terra. Os últimos profetas, como Ezequiel, Ageu e Zacarias, proclamaram que o Espírito era o inspirador da profecia. Isto significa que o Espírito lhes deu as palavras que proclamaram e registraram. O Espírito de Deus era responsável por tudo que os escritores da Bíblia registraram. Os profetas também escreveram que Deus mostraria seu poder através do Espírito no futuro. Isaías profetizou que o Espírito viria outra vez para ungir um homem que traria salvação para todas as pessoas (Isaías 11:2; Isaías 42:1; Isaías 61:1). Ele estava falando de Jesus, o Messias. O Messias era o rei que os judeus estavam esperando. Através de Jesus, o Espírito teria liberdade sobre Israel (Ezequiel 39:29; Joel 2:28-29; Zacarias 12:10) como parte de uma nova aliança entre Deus e o homem (Jeremias 31:31-34; Ezequiel 36:26-27). A aliança era uma promessa de Deus de que mandaria seu Espírito para dirigir seu povo. Os israelitas haviam quebrado sua antiga aliança com Deus porque continuaram a desobedecê-lo. Sob a nova aliança, Deus prometeu perdoá-los Entre o tempo do Velho e do Novo Testamento, acreditava-se que o Espírito não estava mais presente em Israel. Durante aquele tempo a voz do Espírito não era mais ouvida através da voz dos profetas. Mas o Espírito foi conhecido de novo quando o Messias, Jesus Cristo, veio à terra.


PÓS – PENTECOSTAL – Este período que se estende do dia de Pentecoste até os nossos dias pode legitimamente ser chamado de dispensação do Espírito. Após o dia de Pentecoste, por meio do Espírito Santo, Deus veio para habitar nos homens. Ele vem para permanecer. O dia de Pentecoste marcou o raiar de um novo dia nas relações entre o Espírito Santo e a humanidade. Ele veio para habitar na Igreja. A Igreja, o verdadeiro corpo de Cristo, habitado pelo Espírito Santo de Deus, é tão indestrutível como o Trono de Deus..
    ATRIBUTOS DIVINOS
*ETERNIDADE – Hb 9 : 14 *ONIPRESENÇA – Sl 139 : 7 – 10 *ONIPOTÊNCIA– Lc1:35
*ONISCIÊNCIA – I Cort 2 : 10 –11 *VERDADE – I Jo 5 : 6 *SANTIDADE – Lc 11 : 3
*VIDA – Rm 8 : 2 *SABEDORIA – Is 40 : 13    
    ATRIBUTOS PESSOAIS

   1)  Ele ensina (Jo 14.26).
   2) Ele guia (Rm 8.14).
   3) Ele comissiona (At 13.4).
   4) Ele dá ordens a homens (At 8.29).
   5) Ele age no homem (Gn 6.3). 
   6) Ele intercede (Rm 8.26). 7)
   7) Ele fala (Jo 15.26; 2Pe 1.21).

TIPOS E ILUSTRAÇÕES DO ESPÍRITO

Vestimenta ( Lc 24.49)
Pomba (Mt 3.16; Mc 1.10; Lc 3.22; Jo 1.32)
Penhor (2Co 1.22; 5.5; Ef 1.14)
Fogo (At 2.3)
Óleo (Lc 4.18; At 10.38; 2Co 1.21; 1Jo 2.20)
Selo (2Co 1.22; Ef 1.13; 4.30)
Servo ( Gn 24)
Água (Jo 4.14; 7.38,39)
Vento (Jo 3.8; At 2.1,2)

A OBRA DO ESPÍRITO NA SALVAÇÃO

A) Convencimento: (Jo 16.8-11)
1) Definição: Convencer (Jo 16.8) significa esclarecer a verdade do evangelho perante a pessoa não salva, de modo que seja reconhecida como verdade, quer a pessoa receba ou não a cristo como seu Salvador.
2) Detalhes:
a) Do pecado. O estado pecaminoso do homem se deve à sua incredulidade.
B) Da Justiça. O homem é convencido da justiça de Cristo porque Ele ressurgiu e ascendeu à direita do Pai.
C) Do juízo. O Espírito convence sobre o juízo vindouro porque satanás (o maior inimigo) já foi julgado.

B) Regeneração: (Tt 3.5)
1) Definição: O ato divino de geração espiritual, pelo qual Ele comunica vida eterna e nova natureza.
2) Meio: É a obra de Deus, particularmente do Espírito  (Jo 3.3-7; Tt 3.5). A fé é o requisito humano em presença do qual o Espírito regenera, e a Palavra de Deus fornece o conteúdo cognitivo da fé.
3) Características:
a) É um ato instantâneo, não um processo (embora seus antecedentes e conseqüências possam ser processos). 
b) É não-experimental (não se deriva ou baseia em experiência, embora seja seguida das experiências comuns à vida cristã).
4) Conseqüências:
a) Uma nova natureza (2Co 5.17)   
b) Uma nova vida ( 1Jo 2.29).

C) Habitação: ( 1Co 6.19).
1) As pessoas habitadas: Todos os verdadeiros crentes, porque:   
a) Mesmos crentes em pecado desfrutam da habitação (1Co 6.19)
b) O Espírito é um dom ( Rm 5.5)
c) A ausência do Espírito é prova da condição de não-salvo (Rm 8.9).                   
2) A Permanência da habitação: Os crentes podem perder a plenitude do Espírito, mas não a Sua habitação (Jo 14.16).
3) Problemas com a habitação:
a) A obediência é uma condição  (At 5.32)? Sim, mas a obediência à fé cristã (At 6.7; Rm 1.5)
b) Algumas pessoas não foram apenas temporariamente habitadas? Sim, mas apenas antes do dia de Pentecostes (1Sm 16.14) 
c) Qual a relação entre a unção e a habitação? Elas ocorrem ao mesmo tempo, mas com propósitos diferentes: a habitação é a presença de Deus na vida do crente, ao passo que a unção o capacita a ser ensinado pelo Espírito (1Jo 2.20,27).
     
Dons do Espírito Santo
Dons do Espírito Santo, segundo a Bíblia, são atributos proporcionados sobrenaturalmente aos cristãos pelo Espírito Santo. Segundo o texto bíblico da 1ª carta de Paulo aos Coríntios,[1] existem nove diferentes dons possíveis de serem alcançados pelo cristão. Estes dons são postos em prática em comunidades cristãs, independentemente de sua razão confessional, por pessoas reconhecidamente cristãs em sua fé e prática. Foram bastante importantes na igreja cristã primitiva para a evangelização do mundo então conhecido. Atualmente, verifica-se a utilização de tais dons na renovação carismática, movimento que tem seu esteio na Igreja Católica Apostólica Romana, nas igrejas protestantes pentecostais e neopentecostais. É uma expressão estudada na teologia cristã. Segundo o autor da Primeira Epístola aos Coríntios, seria doado para o que fosse útil (12:7), e repartido a cada um segundo a vontade do Espírito Santo (12:11); existindo diferentes tipos de dons:
A enumeração dos dons é proferida na Primeira Epístola aos Coríntios, no capítulo 12, sendo eles:
·    Palavra da sabedoria;
·    Palavra do conhecimento;
·    Fé;
·    Dons de curar;
·    Operação de maravilhas;
·    Profecia;
·    Discernimento de espíritos;
·    Variedade de línguas;
·    Interpretação de línguas.
Classificação dos dons

Dons de inspiração

Profecia

Interpretação de língua

Variedade de língua

Dons de revelação

Discernimento de espírito

Palavra de sabedoria

Palavra de conhecimento

Dons de Poder



Dons de cura

Operação de maravilha
O Fruto do Espírito Santo é um conceito teológico cristão contido no Novo Testamento, na carta do Apóstolo São Paulo aos Gálatas. A passagem descreve o "fruto" como o que se espera de resultado na vida de quem o Espírito Santo tem atuado, em contraste com as Obras da carne na vida daquele que não tem o Espírito Santo e conseqüentemente não herdará o Reino de Deus.
Gálatas 5:19-23 "Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia, a idolatria, a feitiçaria, as inimizades, as contendas, os ciúmes, as iras, as facções, as dissensões, os partidos, as invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão, o domínio próprio; contra estas coisas não há lei."

 O QUE É FRUTO DO ESPIRITO?
são virtudes e qualidades expressas no carater cristãos; qualidades e virtudes estas que havia na pessoa bendita de Jesus, no seu ministério terreno; e que é introduzido em nós através do Espírito Santo;
 FRUTO; "e não frutos"
em Gálatas 5.22, lemos; "MAS O FRUTO DO ESPIRITO É; CARIDADE,GOSO,PAZ,LONGANIMIDADE,BENIGNIDADE,BONDADE, FÉ,MANSIDAO,TEMPERANÇA."
vejam bem a palavra fruto aparecem no singular e
não no plural, o que nos leva a entender que; são nove virtudes, que fazem parte de um todo, de maneira que se faltar uma destas virtudes em nós não estamos completos. "Tg;1.4"(tenha porém, a paciência a sua obra perfeita, para que seja perfeito e completos, sem faltar em coisas alguma."
  QUAL O PRINCíPIO DA FRUTIFICAÇÃO?
encontra-se em Genesis 1.11,observe que; cada planta e árvore
devia produzir fruto segundo a sua espécie, e a frutificação espiritual segue o mesmo critério... quais estão sendo os nossos frutos?,somos espirituais?,ou somos carnais?...segundo a nossa espécie...
  QUAL É SUA ESPECIE?   
Rm 6.12 "não reine,portanto,o pecado em vosso corpo mortal,para lhe obedecerdes em suas concupiscências. ( Gl 5.17 ) porque a carne cobiça contra o Espírito e o Espírito contra a carne e este opõem  um ao outro; para que não façais o que quereis.
  Aqui está o segredo de nossa vitória, temos que nos submeter ao
domínio do Espírito e deixar que Ele no guie e nos oriente em todas as nossas decisões, e em toda a nossa caminhada, fazendo assim nos tornaremos um solo fértil onde a virtudes do fruto do espírito será produzido em nós, então passaremos a ter o mesmo sentimento de cristo...Fp 2.5

O Espírito foi uma promessa de Jesus...

Antes de mais não se trata de um espírito qualquer, muito menos uma espécie de fantasma. Também não é uma realidade ausente e misteriosa, como alguns pensarão. É uma pessoa. Ele apresenta todas as características de uma pessoa: pensa (At. 15, 28), que fala (At. 1, 16), Dirije (Rom. 8, 14), pode entristecer-se (Ef. 4, 30).
O Espírito foi precisamente uma promessa de Jesus. Jesus, após a sua morte, aparece aos seus apóstolos, dando-lhes numerosas provas da sua ressurreição. E antes de subir ao Céu recomendou-lhes que não se afastassem da cidade de Jerusalém, mas que esperassem aí o Espírito Santo.
Foi nessa ocasião que disse: «Ides receberas uma força, do Espírito Santo, que descerá sobre vós,e seres minhas testemunhas em Jerusalém, por toda a Judéia e Samaria, até aos confins do mundo» (At. 1, 6-8).
Esta promessa foi feita por Jesus aos seus apóstolos antes de partir para junto do Pai: irão receber uma força que fará de vós minhas testemunhas. Ou seja, Jesus tinha consciência que sem essa força eles teriam medo e não dariam testemunho d’Ele. Por isso, podemos concluir que o Espírito é a força, é o dinamismo, é o impulso que nos faz agir e dar testemunho.

O dia do Pentecostes


E esse dia chegou. Chegou e transformou radicalmente a vida daqueles apóstolos que tinham medo de anunciar Jesus Cristo. Essa transformação aconteceu no dia de Pentecostes porque o Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos e os demas que estavam no cenaculo. É este dia que marca o início da Igreja.
«Quando chegou o dia de Pentecostes, encontravam-se todos reunidos no mesmo lugar. De repente, ressoou, vindo do céu, um som comparável ao de forte rajada de vento, que encheu toda a casa onde eles se encontravam. Viram então aparecer umas línguas, à maneira de fogo, que se iam dividindo, e pousou sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas, conforme o Espírito lhes inspirava que se exprimissem.» (at. 2, 1-4).   
    Os apóstolos até este dia viviam dentro de casa, com as portas trancadas, com medos dos judeus, com medo que lhes acontecesse o mesmo que a Jesus. Mas neste dia de Pentecostes, depois da descida do Espírito Santo, saíram  e, sem medo, começaram a falar de Jesus e da sua mensagem.
    A multidão não compreende o que se passa. Pedro levanta-se então e começa a explicar. Ele insiste sobre a promessa de Deus no Antigo Testamento e de Jesus no Novo Testamento. Quando a multidão que pergunta o que deve fazer, Pedro responde que era necessário que pessoas receberam e viverem como batizadas.
Por causa do testemunho que deram, começaram a ser ameaçados, perseguidos, presos... Mas nada disso os fazia parar. Levados pela força do Espírito Santo espalharam-se pelo mundo a pregar o Evangelho até serem mortos.


O ESPÍRITO SANTO NA VIDA DOS APÓSTOLOS

Os apóstolos eram homens especialmente escolhidos para testemunhar a ressurreição de Jesus. Tinha qualificações: Lucas 24:48; Atos 1:8; 1 João 1:1-2 e credenciais: 2 Coríntios 12:12; 1 Coríntios 9:1; Atos 1:21, 22; 8:18. Eles tinham o poder de fazer cair o Espírito (e assim receber poder) pela imposição das suas mãos. Devido a seu papel importante dado por Jesus, O Espírito tinha uma função bem especial nas suas vidas e ministérios.
O Espírito foi prometido aos apóstolos como uma presença íntima.

João 14:16-19 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco,  o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não no vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós.  Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros. 19 Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis.
João 20:22 E, havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo.
(“Soprou sobre eles” - Simbolizando a concessão do Espírito Santo, desde que a palavra para “sopro” e “espírito” é a mesma no grego e no hebraico. Alguns estudiosos modernos consideram a relação entre estes versículos e Atos 2 irreconciliáveis. Mas não existe indicação aqui de que os apóstolos tenham recebido o Espírito Santo nesta ocasião. Jesus estava-lhes assegurando simbolicamente, no domingo da ressurreição, o que lhes prometera que ocorreria, em Atos 2 . Nesse contexto, não há nenhuma indicação deles terem recebido o Espírito Santo. Em Atos 1:4-5 é que Jesus lhes ordena para eles esperarem a promessa da vinda do Espírito Santo. E de fato essa promessa é cumprida em Atos cap. 2. )
  I. O Dom do Espírito Santo é para todos os cristãos

    Desde então, o Espírito está conosco. A promessa já se cumpriu. Cada cristão recebe esta promessa. Ela já não é apenas para alguns homens ou mulheres é para todos os cristãos. Para cada um de nós.
De fato, todos os cristãos precisam dessa força para falar de Jesus e viver como Ele viveu. Por isso, Deus quer derramar o seu Espírito sobre cada um de nós porque sabe que sem Ele não somos capazes de viver o Evangelho. É Ele que diz: «... Derramarei o meu Espírito sobre toda a criatura» (Act. 2, 17) (Cf. At. 2. 39).
    Podemos saber quem é o Pai, podemos conhecer toda a vida de Jesus, mas se não tomamos consciência do Espírito não podemos ser cristãos. Porque só há uma maneira de ser cristão é procurar viver como Jesus viveu.
    Eis a razão pela qual não é possível – em rigor - ser cristão não praticante. Se não pomos em prática não somos cristãos. Se não procuramos viver como Jesus viveu não somos cristãos. Ser «cristão» significa ser «Cristo».
    O Espírito é a força que nos ajuda a pôr em prática o Evangelho. Por isso, quando somos batizamos somos batizados no Espírito e quando somos crismados somos confirmados nesse mesmo Espírito.


 II. Os apóstolos viram como testemunhas oculares toda a vida ministerial de Jesus. Agora o Espírito, pela pregação e pelos milagres iria testemunhar com eles.
Marcos 16:19-20 De fato, o Senhor Jesus, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à destra de Deus. 20 E eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o Senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam.

15:26-27 Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim; 27 e vós também testemunhareis, porque estais comigo desde o princípio.

Hebreus 2:3-4 como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; 4 dando Deus testemunho juntamente com eles, por sinais, prodígios e vários milagres e por distribuições do Espírito Santo, segundo a sua vontade.

1 Tessalonicenses 1:5 porque o nosso evangelho não chegou até vós tão-somente em palavra, mas, sobretudo, em poder, no Espírito Santo e em plena convicção, assim como sabeis ter sido o nosso procedimento entre vós e por amor de vós.
III. Quando foram presos por causa do nome de Jesus, O Espírito lhes deu a sua defesa.
Mateus 10:16-20 Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas. 17 E acautelai-vos dos homens; porque vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas; 18 por minha causa sereis levados à presença de governadores e de reis, para lhes servir de testemunho, a eles e aos gentios. 19 E, quando vos entregarem, não cuideis em como ou o que haveis de falar, porque, naquela hora, vos será concedido o que haveis de dizer, 20 visto que não sois vós os que falais, mas o Espírito de vosso Pai é quem fala em vós.
IV.Durante a vida de Jesus, os apóstolos não entenderam e não aprenderam muitas lições apresentadas. Agora o Espírito Santo iria ser o intérprete e o professor que lembraria e ensinaria o que Jesus tinha ensinado a eles.
João 14:25-26 Isto vos tenho dito, estando ainda convosco; 26 mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.
V. O Espírito ensinaria coisas sobre as quais Jesus não teve oportunidade de falar por causa da incapacidade dos discípulos. Toda a verdade seria revelada aos Apóstolos, em ocasião posterior.
João 16:12-15.  Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; 13 quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. 14 Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. 15 Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.
VI. A autoridade com que ensinavam era a mesma autoridade de Jesus porque Jesus lhes deu esta autoridade e os ensinos deles eram os ensinos do Espírito Santo de Deus.

Mt 18:18  Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado nos céus, e tudo o que desligardes na terra terá sido desligado nos céus.

1 João 1:1-3 O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida 2 (e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada), 3 o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo.

1 João 4:1-6 Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora. 2 Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; 3 e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo. ... 6 Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus nos ouve; aquele que não é da parte de Deus não nos ouve. Nisto reconhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.

1 Coríntios 12:3 Por isso, vos faço compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus afirma: Anátema, Jesus! Por outro lado, ninguém pode dizer: Senhor Jesus!, senão pelo Espírito Santo.

1 Coríntios 14:37-38 Se alguém se considera profeta ou espiritual, reconheça ser mandamento do Senhor o que vos escrevo. 38 E, se alguém o ignorar, será ignorado.
A atuação do Espírito Santo no Milênio:
O Espírito Santo será derramado sobre toda carne para habitar, encher e ensinar (Jeremias 31.33-34; Joel 2.28-32; Ezequiel 36.25-31). Notamos que a profecia de Joel será finalmente cumprida literalmente, pois apenas uma parte fora cumprida no Dia de Pentecostes.

A obra do Espírito Santo será mais abundante e terá uma manifestação muito maior na era milenar do que em qualquer outra época. Portanto a plenitude do Espírito Santo será comum nesta era (Isaías 32.15; 44.3; Ezequiel 39.29; Joel 2.28-29).

O cristão será, portanto, habitado pelo Espírito Santo da mesma forma como este é hoje (Ezequiel 36.27; 37.14; Jeremias 31.33).

O Espírito Santo, em cada livro da bíblia.

          
Gn – O incubador de vida
Ex- A inspiração de besaleel
Lv - O fogo do altar
Nm - Autor das profecias
Dt - A força de Moises
Js - Encorajador divino
Jz - O restaurador das nossas forças
Rt - O companheiro  inseparável
I e II Samuel - A lâmpada de Israel
I e II reis - O arrebatador
I e II crônicas - O fortalecedor
Esdras - O revificador dos cultos
Ne - O amante do seu  povo
Éster - O provedor da ultima hora
Jô - O amigo das horas incertas
Salmos - O alvo de Davi
Provérbios - A torre forte
Ecles - O consumado das vaidades
Cant - O viveiro hesbom
Isaias - O purificador de jerusalém
Jeremias - A Tocha viva que arde continuamente
Lam - O colecionador de lagrimas
Ezequiel - O autor das visões
Daniel - O  mestre das visões
Oséias - O perdoado infalível
Joel - O autor do fervor espiritual
Amós - O autor continuo
Obadias - O arrebatador das alturas
Jonas - O que anima os evangelista
Miq - O orvalho de sião
Naum - O portador da espada flamejante
Hab - A salvação de seu povo
Sof - O provedor da verdade
Ageu - A gloria da ultima casa
Zac - O quebrantador de Israel
Mal - O que reveste Elias

Mt - a testemunha infalível
Mc - A unção do messias
Lc - A resposta do alto
Jo - O parancleto divino
At - O telegrama sobrenatural
Rm - O grande ressuscitador
I e II Cor - O distribuidor dos dons
Gal - O superior a lei
Ef – O selo celeste
Filip - A paixão dos preparadores
Col - O arauto dos tesouros oculto
I e II tess - O que detem o anticristo
I e II timóteo - O quarda do bom deposito
Tit - O quia da igreja
Fil - O conselho fiel
Heb - O arauto da redenção
Tg - O preservador da coroa de glória
I e II ped - O inspirador insubstituível
I , II , III  João – O grande testificador
Judas - O locutor divino
Apoc - O conclador initerruptor


























Ev: Carlos Nascimento.

domingo, 4 de dezembro de 2011

O que diz a biblia sobre homosexualismo




HOMOSSEXUALISMO
   
Introdução:

Em 1869 o jornalista ungaro (homossexual) por nome Benkert, criou a palavra homossexual ( gay) que é uma palavra universal.
Lésbica é como se chama o homossexualismo feminino, que também é uma pratica condenada pelas sagradas escrituras.
A etimologia da palavra lésbica originalmente se referia somente os habitantes de lésbos uma ilha na grécia. Na Antiguidade, entre os séculos 6 e 7 a.C., morava nesta ilha a poetista Safo, admirada por seus poemas sobre o amor e a beleza, em sua maioria dirigidos às mulheres. Por esta razão, o relacionamento amoroso entre mulheres passou a ser conhecido como lesbianismo ou safismo.
Nos dias atuais é um nome genérico, para todas as mulheres que praticam o homossexualismo.
Na língua inglesa gay ( alegre).
E ainda são chamados de muitos outros nomes pejorativos tais como:  boiola , bicha ,  sapatão, Maria João etc.
Mas a luz das escrituras como são chamados ?
1.    Prostitutos cultuais.
2.    Prostitutos do templo.
3.    Rapazes escandalosos.
Veremos a luz das escrituras que essas praticas sempre foram condenadas por Deus analisaremos sobre a interpretação bíblica que no antigo testamento ao novo, Deus sempre fez advertência ao seu povo quanto a essas praticas chamando-as de perversão, ato abominável.
Percorreremos as santas letras do principio ao fim o que Deus profetizou sobre seus atos sua conseqüência e sobre a consumação de quem pratica tais coisas.
No livro de gêneses no capitulo 19:5-8
O costume de sodama.
Havia nos dias de Ló um costume entre os cidadãos de Sodoma, uma pratica homossexual em honra a divindades pagã. No portão da cidade, ficavam dois homens , que se  revezavam  com o pênis ereto e todos  os que entravam na cidade teriam que passar pelos portões da cidade e sentar no órgão sexual e suas semente ( seu espermatozóide ) Era lançado na terra em honra a divindade ( deuses da fertilidade), No hebraico ( yadha) que tem vários significado, ele aparece 900 vezes  no antigo testamento, aqui neste caso tem conotação sexual. Se  analisarmos a resposta de ló, oferecendo suas duas filhas virgens, evidencia que os homens de Sodoma queriam consubstancia essa pratica. Essa foi a causa de todos irem a casa de ló, Porque os varões não haviam passado pelos portões da cidade ( 0s seres angélicas). gênesis 19: 8. Em verdade, aqueles Homens não queriam as mulheres, antes queriam efetua a vontade homossexual.No livro de Judas Cap 1: 7 diz : Assim como Sodoma e gomora e as cidades circunvizinhas, que hevendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após a outra carne, foram posta por exenplo, sofrendo a pena do fogo eterno.no livro de II Pedro 2: 7-10 diz : E livrou o justo ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis, porque esse justo, habitando entre eles, aflingia todos os dias a sua alma justa, vendo e ouvindo sobre as suas obras injustas.Assim sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reserva os injustos para o dia do juízo, para serem castigados; Mas principalmente aqueles que segundo a carne andam em concupiciências de imundícia, e desprezam as autoridades; atrevidos, obstinados, não receando blasfemar da dignidade.
I timóteo cap 1:8-10 Sabendo porem, que a lei é boa se alguem usar dela legitimamente; Sabendo isto, que a lei não é feita para o justo, mas para o injusto e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos,para os parricidas os que (matam o pai), para os matricidas os que, ( matam a mãe),para os homicidas, para os devassos, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros, e para os que for contrario a sã doutrina Obs: Os sodomitas, esta lado a lado com os demas , portando essa pratica é considerada pecado pelas sã doutrina.
   Obs: Levíticos 18:22  Com varão te não deitarás, como se fosse mulher: abominação é;                                                                            
O que é um prostituto cultual? 
Os povos cananeus, vizinhos dos hebreus, não possuíam a lei de Moisés; eles idolatravam vários ídolos e deuses. Os cananeus em seus templos ou em campos celebravam cultos da fertilidade; nestes cultos ocorria a prostituição-cultual, em que as mulheres e os homens representavam deuses e se trajavam como tais, se prostituindo em honra a seus deuses. Prostituição masculina não existia no Oriente Médio a não ser em templos pagãos ou em seus cultos da fertilidade, tal prostituição está totalmente ligada à idolatria Tanto que a palavra hebraica para “prostituto” que aparece na Bíblia é “qadesh”, que literalmente significa “santo” ou “separado”, “prostituta” em hebraico é “qadeshôth”, significando “separadas” ou “santificadas”; nesse sentido eles eram separados, não para o serviço de Deus, mas sim para o serviço aos deuses pagãos.
O que era ser um prostituto do templo

(Deuteronômio 23:17)

A última passagem do Antigo Testamento, que é usado contra a homossexualidade é encontrada em Deuteronômio 23:17.

    Não haverá prostituta dentre as filhas de Israel, nem haverá sodomita dentre os filhos de Israel.

Este verso quase nunca é usado contra a homossexualidade, pois é sabido que a palavra hebraica qadesh (Strong 6945) significa "dedicado à prostituição" ou "prostituta do templo. A maioria das versões reflete a essa tradução .
No entanto, antes disso, a King James diz: "sodomita" em vez de "prostituta do templo." Para aqueles que acreditavam que o pecado de Sodoma era o homossexualismo, também pensei que este versículo condenando o homossexualismo. Claramente podem ser considerados como erros de tradução pode criar um efeito como"inundação". Erros de mistura repetidamente.

Que não é removido no mesmo versículo. Prostituição no templo era um problema bem conhecido na época dos patriarcas.  Era bem conhecido  fazer sexo com uma prostituta (ou a prostituto) do templo,Eles transmitia uma bênção do templo, em especial para o participante. Deus era contra os israelitas a participar de tais praticas, era uma abominação ao Deus de Israel.

    Os israelitas eram um povo eleito por Deus. Eles não devem ser misturar com outras nações e seus costumes que o cercavam.

    Deus é um Deus ciumento e não quer adoração senão a Ele (Êxodo 23:3-7, 34:14, Deuteronômio 04:24, Josué 24:19-20)! Ter relações sexuais com o sacerdote ou sacerdotisa do templo estava a dar reverência e ter relações íntimas com o deus daquele templo.

     A chance de uma doença venérea seria maior se você fosse uma prostituta (a) (a) ou se você teve relações sexuais com (as) prostitutas (as) do templo.

É fácil ver como Deus proibiu tais práticas por causa da prostituição no templo, está em conflito direto com o grande mandamento do amor Ágape (Mateus 22:37-40, Gálatas 5:14, João 13:34). Pontos  1 e  2 foram em violação direta do primeiro mandamento do amor.  É que não deveríamos ter outro deus (s) acima do nosso próprio Deus. Ponto 3 viola o segundo mandamento do amor Ágape (Mateus 2:37-40), no qual devemos amar os outros como amamos a nós mesmos. Transmitir doenças venéreas não é um ato de amor para você ou para a pessoa com quem você tem relacionamentos!

Em conclusão, podemos ver que este versículo em nada se relaciona com a homossesualidade do templo.
Rapazes escandalosos quem são eles?
Em algumas traduções, ao invés de "sodomitas" a expressão usada é "rapazes escandalosos", "rapazes alegres" (atualmente é mas, comum dizer homossexuais).           
I Reis 14: A impiedade de Roboão
21-E Roboão, filho de Salomão, reinava em Judá; de quarenta e um anos de idade era Roboão quando começou a reinar e dezessete anos reinou em Jerusalém, na cidade que o Senhor elegera de todas as tribos de Israel para pôr ali o seu nome; e era o nome de sua mãe Naamá, amonita. 22-E fez Judá o que era mau aos olhos do Senhor; e o provocaram a zelo, mais do que todos os seus pais fizeram com os seus pecados que cometeram. 23-Porque também eles edificaram altos, e estátuas, e imagens do bosque sobre todo alto outeiro e debaixo de toda árvore verde. 24-Havia também rapazes escandalosos na terra; fizeram conforme todas as abominações das nações que o Senhor tinha expulsado de diante dos filhos de Israel.
I Reis 15: Asa é bom rei sobre Judá

9- E, no vigésimo ano de Jeroboão, rei de Israel, começou Asa a reinar em Judá
10- e quarenta e um anos reinou em Jerusalém; e era o nome de sua mãe Maaca, filha de Absalão.
11- E Asa fez o que era reto aos olhos do SENHOR, como Davi, seu pai.
12- porque tirou da terra os rapazes escandalosos, e tirou todos os ídolos que seus pais fizeram.
I Reis 22: O reinado de josafa e sua morte.
47- Também desterrou da terra o resto dos rapazes escandalosos que ficaram nos dias de Asa, seu pai.
Havia uma festa pagã na cidade de Corinto em honra ao deus Baco deus do vinho e a deusa cibele.
Na cidade de Corinto, onde Paulo estava quando escreveu a carta, era comum o culto da deusa Cibele, em cujos templos ocorriam orgias e prostituições em honra a esta deusa, cujos sacerdotes costumavam se castrar para tornarem-se “sacerdotisas”; existem vasos de cerâmica da época que retratam também sacerdotisas utilizando calças com uma imitação de um órgão sexual masculino acoplado na parte da frente. Em toda a corte romana isso era comum; dos primeiros 15 imperadores de Roma apenas um foi heterossexual; de Nero se dizia que ele era “homem de todas as mulheres e mulher de todos os homens”.
Havia os“bacanais” (orgias sexuais em honra ao deus do vinho, Baco) onde as orgias se tornavam públicas e homens e mulheres se misturavam e faziam sexo sem nenhum critério ou distinção. No culto de Príapo, deus da potência sexual, praticava-se sexo genital, anal, oral, com animais, crianças e escravos, sem distinção de parceiros. Em todos estes cultos homossexuais e heterossexuais se misturavam e faziam sexo com quem lhes viesse à frente; não havia amor nisso, era apenas satisfação sexual, idolatria e prostituição.
O que diz o apostolo Paulo sobre homossexualismo (efeminados e Sodomitas).

1 Coríntios 6.9 - "...nem efeminados, nem sodomitas,..."
As palavras efeminado e sodomita apresentadas no texto de 1 Co. 6.9 é uma expressão de condenação do Senhor sobre duas formas diferentes de praticar o mesmo pecado.
A PRIMEIRA se traduz corriqueiramente por Efeminado. ‘Malakos’, do grego mole, macio, suave e efeminado, era usada para se referir aos homens que eram passivos nas relações sexuais com outros homens. A idéia de suave, mole e etc, era pelo fato de esses homens terem a atitude usual da mulher na relação sexual com outros homens. Nos nossos dias a melhor tradução para esse termo seria “homossexuais passivos”, esses não herdarão o reino dos céus.
A SEGUNDA se traduz por sodomita. ‘Arsevókoitês’, do grego sodomita, pederasta, homossexual. Esse termo é a junção de duas outras palavras gregas: ‘Arse’, que quer dizer macho; e, ‘koitê’, que quer dizer leito nupcial, relação sexual, coito. Seria aquele que faz sexo com outro homem, ou ainda, aquele que é ativo na relação homossexual. Em outras palavras é o “homossexual ativo”, esses , também, não herdarão o reino dos céus.
Isso significa, que tanto aquele que é ATIVO quanto o que é PASSIVO estão pecando e sendo, assim, indignos do reino dos céus.
I timóteo capitulo 1:9; 10 diz:

Sabendo isto, que a lei não é feita para os justo, mas para os injustos e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas e matricidas, para os homicidas, para os devassos, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros, e para o que for contrario a sã doutrina.

O que é sodomita?

É o homossexual ativo.

II timóteo capitulo 3:3 diz:

Sem afeição natural, irreconciliáveis , caluniadores, sem domínio de si, cruéis, sem amor para com os bons etc.....

Na hermeneutica, que é a arte ou ciência de interpretar, quero parafrasear dizendo que o apostolo Paulo pela revelação do Espírito Santo, estava dizendo que nos últimos dias da dispensação da graça, antes do arrebatamento os homens serão, sem afeição natural ( efeminados).
Que iria aumentar, proliferar o homossexualismo Passivo.

No livro de Romanos no capitulo 1: 23- 32 O apostolo Paulo nos diz: como andava os homens daquela época.

Roma aderiu os deuses gregos, suas divindades, os deuses gregos casavam-se, prostituíam-se, criavam intrigas,  caluniavam e muitas outras coisas semelhantes, o que gerou na sociedade romana: Os habitantes de Roma se personificaram nos deuses. A imoralidade na sociedade romana era de fato uma verdade que ficou nos anais da história. A causa maior da imoralidade na sociedade romana esta explicita no capitulo 1 verso 21,22,23  no primeiro versículo, esqueceram de Deus, mesmo tendo conhecimento dele.No versículo vinte e dois Confiaram em seus próprios corações, versículo vinte três nos diz que seguiram os deuses feitos pelas mãos dos homens e caíram no pecado de idolatria. Deus então os entrega a desonra, para mutuamente desonrarem seus corpos a toda sorte de concupiscências de seus corações. Deus os abandona as paixões infames. Para cometerem torpeza varão com varão ( homem com homem) homossexualismo. A palavra de Deus chama seus sentimentos de perverso e isso aborrece o criador. Já havia na sociedade romana o homossexualismo masculino e feminino. No versículo vinte e seis diz que até suas mulheres mudaram o uso natural, no contrario a natureza. Existe uma lei natural das coisas, lei biológica criada por Deus, o universo não esta ao acaso o Deus que criou todas as coisas esta no controle regendo. Quando a palavra nos fala que a mulher deixou o uso natural, esta ao invés ao contrario a natureza o oposto, mudando seu curso. O apostolo termina dizendo que são dignos de morte aos que tais coisas praticam não só as fazem mas, também os que consentem. E se não houver arrependimento ficarão sem ser perdoados, irreconciliáveis sem misericórdia,

O apostolo João quando ficou exilado na ilha de patmos teve uma visão e nos relata no livro do apocalipse no capitulo 21: 8

Mas quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis ( sodomita ), e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idolatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago de fogo que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte. ( separação eterna do homem com Deus o julgamento divino do grande trono branco que esta no capitulo 20: 11-15).Isso quer dizer que Deus não aprova o homossexualismo, qualquer que seja feminino ou masculino, Ativo ou passivo.
O livro do apocalipse trata sobre o fim, a consumação de todas as coisas e todos os  praticantes ou os que consentem a sua parte será no lago de fogo e enxofre que é a segunda morte, como esta explicito no verso oito, que ora acabamos de ler.
Essa segunda morte é a separação eterna do homem com o Criador.
                                                
   Ev: Carlos Nascimento.

   Miss: Viviane Gleice da Costa Nascimento









                                                        

Deus existe ? - Programa Evidências (Dr. Rodrigo Silva) Parte 2/2

Deus existe ? - Programa Evidências (Dr. Rodrigo Silva) Parte 1/2

sábado, 3 de dezembro de 2011

O Êxodo
A arqueologia tem sido a maior amiga dos historiadores e estudiosos bíblicos na procura de locais e objetos que possam evidenciar o trajeto dos hebreus. Já são muitas as evidências encontradas no Egito e na Arábia Saudita.
No último século arqueólogos redescobriram evidências sobre a escravidão dos hebreus, as pragas e a fuga do Egito. A pintura abaixo é uma entre outras encontradas nas paredes da tumba de um comandante chamado Khnumhotep II (século XIX A.C.) onde estão registradas a entrada de um grupo de cerca de 37 palestinos (de barbas) trazendo suas mulheres, crianças, arcos, flechas, lanças, harpas, jumentos e cabras caracterizando que não se tratava de uma invasão, por causa da submissão aos egípcios (mulatos).
A figura n° 115 (imagem abaixo) da publicação The Ancient Near East in Pictures (Pritchard) mostra inscrições no Egito sobre o trabalho escravo (século XV A.C.) na fabricação de tijolos e na construção (Êxodo 1.11-14). Alguns textos egípcios mencionam cotas de tijolo e uma falta de palha, como em Êxodo 5.6-19.
Há sinais das pragas nas ruínas da antiga cidade de Avaris e no chamado "papiro de Ipuwer" encontrado no Egito no início do último século, levado para o Museu Arqueológico Nacional em Leiden na Holanda sendo decifrado por A.H. Gardiner em 1909. O papiro completo está no Livro das Advertências de um egípcio chamado Ipuwer. Este descreve motins violentos no Egito, fome, seca, fuga de escravos com as riquezas dos egípcios e morte ao longo da sua terra. Pela descrição ele foi testemunha de pragas como as do Êxodo. A tabela abaixo compara os relatos de Ipuwer e Moisés:
Papiro de Ipuwer
Êxodo de Moisés
2.5-6 A praga está por toda região. Sangue em toda parte.2.3 Certamente, o Nilo inunda mas não querem arar para ele.
2.7 Certamente, foram enterrados muitos mortos no rio; a corrente está como uma tumba.
2.10 Certamente, o rio está ensangüentado, e quando se vai beber dele, passam longe as pessoas e desejando água.
3.10-13 Essa é a nossa água! Essa é a nossa felicidade! O que faremos a respeito? Tudo são ruínas.
7.20 …e todas as águas do rio se tornaram em sangue. 7.21 ...os peixes que estavam no rio morreram, e o rio cheirou mal, e os egípcios não podiam beber da água do rio; e houve sangue por toda a terra do Egito.
7.24 ...os egípcios cavaram poços junto ao rio, para beberem água; porquanto não podiam beber da água do rio.
5.6 Certamente, as palavras mágicas foram descobertas (nas câmaras sagradas), os encantos e os encantamentos eram ineficazes porque são repetidos pelas pessoas. 8.18-19 Também os magos fizeram assim com os seus encantamentos para produzirem piolhos, mas não puderam...
2.10 Certamente, portões, colunas e paredes são consumidos pelo fogo.10.3-6 A casa real inteira está sem os seus servos. Ela tinha a cevada e o trigo, os pássaros e os peixes; tiveram roupas brancas e linho bom, cobre e azeites;
1.4 ...os habitantes dos pântanos possuem proteções;
6.1-3 A pessoa se alimenta da erva arrastada pela água... Para as aves não se encontra grão nem erva... a cevada pereceu em todas as estradas.
5.13 Certamente o que podia ser visto ontem, desapareceu. A terra está abandonada por causa da esterilidade e igualmente o corte de linho.
9.23-24 ...e fogo desceu à terra ... havia saraiva e fogo misturado...9.25-26 ...a saraiva feriu, em toda a terra do Egito, tudo quanto havia no campo, tanto homens como animais; feriu também toda erva do campo, e quebrou todas as árvores do campo. Somente na terra de Gosen [pântanos do Delta do Nilo] onde se achavam os filhos de Israel, não houve saraiva.
9.31-32 ...o linho e a cevada foram danificados, porque a cevada já estava na espiga, e o linho em flor; mas não foram danificados o trigo e o centeio, porque não estavam crescidos.
10.15 ...nada verde ficou, nem de árvore nem de erva do campo, por toda a terra do Egito.
5.5 Certamente, todos os rebanhos de cabras têm os corações chorando; os gados reclamam por causa do estado da terra.... 9.2-3 ... e da mesma maneira os rebanhos vagaram sem pastores ... os rebanhos vão desnorteados e nenhum homem pôde reuni-los. Cada um tenta trazer os que foram marcados com o seu nome.
9.3 ...eis que a mão do Senhor será sobre teu gado, que está no campo. sobre os cavalos, sobre os jumentos, sobre os camelos, sobre os bois e sobre as ovelhas; haverá uma pestilência muito grave.9.19 ...manda recolher o teu gado e tudo o que tens no campo; porque sobre todo homem e animal que se acharem no campo, e não se recolherem à casa, cairá a saraiva, e morrerão.
9.21 ...mas aquele que não se importava com a palavra do Senhor, deixou os seus servos e o seu gado no campo.
9.11 ... não amanheceu... 10.22 ... e houve trevas espessas em toda a terra do Egito por três dias.
4.3 (5.6) Certamente, os filhos dos grandes são lançados contra a parede.6.12 Certamente, as crianças dos grandes foram abandonadas nas ruas;
2.13 Certamente, as pessoas reduziram e quem põe seu irmão na terra encontra-se em todo lugar.
3.14 É um gemido que há pela terra, misturado com lamentações.
12.29 ...feriu todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se assentava em seu trono, até o primogênito do cativo que estava no cárcere, e todos os primogênitos dos animais.12.30 ...e fez-se grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto.
7.1 Veja, certamente o fogo ascendeu às alturas e o seu queimar sai contra os inimigos da terra. 13.21 ... e de noite numa coluna de fogo para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite.
3.2 Certamente, ouro, lápis azul, prata, turqueza, cornalina e bronze... é colocado no pescoço das escravas... 12.35-36 ...e pediram aos egípcios jóias de prata, e jóias de ouro, e vestidos.....de modo que estes lhe davam o que pedia; e despojaram aos egípcios.
7.2 Veja, quem havia sido enterrado como um falcão está em um caixão de madeira; aquilo oculto na pirâmide estava vazio. Assim morreu José, tendo cento e dez anos de idade; e o embalsamaram e o puseram num caixão no Egito. (Gênesis 50.26)13.19 Moisés levou consigo os ossos de José...
Outra evidência da passagem dos hebreus pelo Egito foi a descoberta do Vale das Inscrições (Wadi Mukattab) na Península do Sinai.
Uma das inscrições feitas por hebreus descreve com detalhes a fuga pelo Mar Vermelho. As inscrições foram feitas em hebraico antigo em pedras e arqueólogos e pesquisadores ainda não sabem dizer quem são seus autores. Há também hieróglifos egípcios a respeito das minas de turquesa da região de Serabit El Khadim, inscrições de mineiros Canaãnitas e Nabateanos, em grego, latim e árabe ao longo do vale.
O explorador Charles Forster publicou estes achados em seu livro "Sinai Photographed" em 1862. Ele concluiu que estas inscrições eram uma combinação de alfabetos hebreus e egípcios que descrevem o Êxodo. A foto abaixo foi tirada em 1857 por Francis Frith.
A mais recente descoberta sobre a passagem dos hebreus no Egito foi apresentada em 2003 quando 2 arqueólogos israelitas concluíram estudos dos anos 30 na parte ocidental do Nilo onde a Universidade do Instituto Oriental de Chicago estava fazendo escavações em Medinet Habu, área do sul da necrópole de Tebas. Arqueólogos descobriram evidências de algumas cabanas semelhantes às casas de 4 quartos predominantes na Palestina durante toda a Idade do Ferro (1200-586 A.C.).
Historiadores antigos e famosos também relataram a passagem dos hebreus no Egito:
Flavio Josefo, historiador judeu do 1° século D.C., em sua obra Josefo Contra Apion - I, 26, 27, 32 menciona dois sacerdotes egípcios: Maneto e Queremon que em suas histórias sobre o Egito nomearam José e Moisés como líderes dos hebreus. Também confirmaram que migraram para a "Síria sulista", nome egípcio da Palestina.
Diodoro Siculo, historiador grego da Sicília (aproximadamente 80 a 15A.C.) escreveu que "antigamente ocorreu uma grande pestilência no Egito, e muitos designaram a causa disto a Deus que estava ofendido com eles porque havia muitos estranhos na terra, por quem foram empregados rito estrangeiros e cerimônias de adoração ao seu Deus. Os egípcios concluíram então, que a menos que todos os estranhos se retirassem do país, nunca se livrariam das misérias".
Herodoto, historiador grego intitulado o Pai da História, escreveu o livro "Polymnia". Na seção c.89 escreve: "Essas pessoas (hebreus), por conta própria, habitaram as costas do Mar Vermelho, mas migraram para as partes marítimas da Síria, tudo que é distrito, até onde o Egito, é denominado Palestina". São localizadas as costas do Mar Vermelho, em parte, hoje o Egito, enquanto são localizadas as partes marítimas da Síria antiga, em parte, o atual Estado de Israel.

A Rota
O caminho para a terra dos filisteus (faixa de Gaza) era o mais curto mas para não haver confrontos a ordem foi seguir pelo caminho do deserto próximo do Mar Vermelho (Êxodo 13.17). Mesmo assim, até hoje a verdadeira rota do Êxodo é discutida e as 3 principais teorias são:
Teoria Tradicional - Normalmente aceita por católicos, judeus e evangélicos. Com algumas variações com relação ao lugar exato da travessia do Mar Vermelho, defende que os hebreus teriam contornado a península do Sinai, sem sair do Egito.
Localizado no Egito por indicação do Imperador Justiniano, o tradicional Monte Sinai vem sendo usado como ponto turístico. As Bíblias atuais mostram mapas indicando lugares por onde poderia ter passado o povo Hebreu mas sem nenhuma comprovação ou evidência arqueológica. A sua localização é longe de Midiã, região noroeste da Arábia Saudita.
Teoria de Ronald Eldon Wyatt - Já aceita por muitos atualmente pela sua quantidade de evidências. Acredita que até o Mar Vermelho os hebreus caminharam pelo tradicional "Caminho dos Reis" atravessando o Golfo de Ácaba.
Anestesista, arqueólogo amador americano e adventista. Foi o pesquisador mais contestado, criticado e até perseguido principalmente por não ser formado em arqueologia. Contudo, o único que realmente conseguiu reunir o maior número de evidências. Em 1984 fotografou (cerca de 400 fotos) e filmou (12 horas de gravação) a região árabe mas foi preso por 78 dias tendo o material apreendido pelas autoridades locais (suspeitavam ser um espião judeu) pois não queriam que suas descobertas fossem divulgadas. Após 8 anos de oração conseguiu reaver todo o material enviado pelos próprios árabes! Naquele momento estava hospedado num hotel na praia de Nuweiba, Egito. Morreu em Agosto de 1999.
Teoria de Emanuel Anaty - A mais recente, a mais rejeitada e a menos conhecida. Acredita que os hebreus teriam seguido o caminho para a Palestina.
Arqueólogo italiano que descobriu no deserto do Neguebe o Monte Carcom, que em hebraico significa "Monte de Deus". Sua localização é longe de Midiã. Pode ter sido um dos acampamentos hebraicos durante os 40 anos de peregrinação mas sem provas suficientes para afirmar. Situa-se entre Edom e o Egito, caminho para o Delta do Nilo utilizado por muitos quando havia fome na atual região Jordaniana.

A Travessia do Mar Vermelho

Durante muito tempo dizia-se que a travessia teria sido num lago ao norte do Mar Vermelho chamado de Mar de Juncos ou Lagos Amargos onde hoje foi aberto o Canal de Suez. Mas acredita-se que se dava este nome ao Golfo de Ácaba, um dos braços do Mar Vermelho.
Em 1988 o explorador americano Bob Cornuke defendeu a teoria de que a travessia teria sido no Estreito de Tiran, na entrada do Golfo de Ácaba, onde existe uma "ponte de terra" ("landbridge" em inglês) no nível do mar entre o Egito e a Arábia Saudita. Para ele a maré baixou e mais tarde subiu afogando os egípcios, ou seja, um evento natural. Porém, não foram encontradas evidências para comprovar sua teoria e o local é relativamente raso não sendo suficiente para afogar um exército de mais de 600 homens! A foto abaixo mostra o local.
Moisés foi claro em relatar o que viu: um vento oriental penetrou no mar formando "muros de água". É bem diferente de uma "ponte de terra"! Um evento sobrenatural provado pela arqueologia!
O local onde se obteve mais indícios da travessia foi a praia de Nuweiba no Golfo de Ácaba, no Egito. É a única praia no Mar Vermelho com área suficientemente grande para suportar a quantidade de hebreus acampados (mais de 2 milhões além dos animais e objetos).
Até este ponto calcula-se que o povo hebreu teria caminhado mais de 300km durante 6 dias praticamente sem parar! Havia alimentos para apenas 7 dias (Êxodo 13.6-8).
A imagem abaixo mostra uma vista aérea da praia onde está a pequena cidade de Nuweiba, onde o aluguel de equipamentos de mergulho para passeios submarinos é uma das principais atividades turísticas.

Foto de satélite ampliada da região. Os caminhos brancos são estradas entre os montes. Os hebreus e os egípcios vieram do norte (Êxodo 14.2).

Outra evidência é a planície do fundo do mar nesta área. As imagens abaixo foram montadas por mapeamento topográfico, e mostram que o mar é profundo ao sul (1700 m) e ao norte (900 m) da praia formando uma espécie de ponte submersa (cerca de 110 m de profundidade)! No fundo foram encontradas rochas agrupadas em linha reta na beira desta planície fazendo-a parecer uma estrada.
A distância entre a costa egípcia e a árabe é de cerca de 18 Km e calcula-se que a largura do caminho feito pelo afastamento das águas tenha aproximadamente 900 metros. Levando-se em consideração o forte vento nas laterais e que uma pessoa a passos largos (sem correr) leve 3 horas e meia para percorrer essa distância, estima-se que a travessia de quase 3 milhões de pessoas e de muitos animais (Êxodo 12.38) possa ter levado umas 6 horas.
Nesta foto de satélite os dados sobrepostos das medidas de profundidades são relacionadas entre si (os valores são razões). As linhas paralelas traçam a estrada submarina por onde as águas secaram.
Neste mapa a distância está em metros. A parte mais profunda da travessia assinalada é de 109m. Notar que ao norte tem 948 metros e ao sul 1720 metros, formando assim uma "ponte submersa".
A foto abaixo mostra a vista, ao nível do mar, para a praia de Nuweiba ao entardecer. A travessia foi feita durante a noite e ao amanhecer (Êxodo 14.20;24) os hebreus teriam visto imagem semelhante a esta logo após o afogamento dos egípcios.
Possivelmente teria sido aqui ou um pouco mais para o lado esquerdo, a festa dos hebreus (Êxodo 15.1-21) pois foi neste local onde foi encontrada uma coluna comemorativa erguida por Salomão. Ao fundo está a praia onde estavam acampados antes da travessia.
Esta outra mostra o local onde Faraó teria avistado o acampamento dos hebreus na praia antes da travessia (Êxodo 14.9-10). É o único caminho para a praia.

Foram encontradas duas colunas em estilo fenício sendo uma na praia do lado egípcio (Nuweiba) e outra do lado árabe. A primeira encontrada foi no lado egípcio em 1978 onde havia uma inscrição em hebraico destruída pela erosão (a parte inferior estava no mar) praticamente ilegível. A segunda, em 1984, no lado árabe é idêntica, tem a mesma inscrição em hebraico e tem legível as palavras: Egito; Salomão; Edom; morte; faraó; Moisés; e Jeová significando que foi erguida por Salomão, em honra a Jeová, e dedicada ao milagre da travessia do Mar Vermelho por Moisés e a destruição do exército egípcio. Semanas depois a coluna foi retirada e colocado um marcador-bandeira em seu lugar. Os árabes não apreciam estrangeiros pesquisando em sua terra, principalmente judeus e americanos.
Durante o reinado de Salomão, Israel foi uma potência no Oriente Médio onde obteve o controle marítimo da região (1 Reis 9.26 e II Crônicas 8.17). Há uma referência em Isaías 19.19 que acredita-se ser a coluna do lado egípcio.

A coluna do Egito.


A coluna da Arábia antes...


... e o marcador depois!
O local da praia onde se iniciou a travessia: A base da coluna estava sob a água e foi removida por soldados israelenses para atrás da estrada principal que beira a praia. Israel ocupou a região da península do Sinai entre 1967 e 1982.
O vento com força sobrenatural veio do lado árabe (das montanhas ao fundo) na direção do povo mas se dividiu em duas correntes de ar separando as águas sob a forma de muros que, afastados criaram um caminho sem água (Êxodo 14.22). Dependendo da altura da maré no dia, esses muros de água chegavam a cerca de 100m na parte mais profunda, no meio da travessia. Quando o vento parou, a pressão do retorno das águas foi suficiente para matar e afogar os egípcios! Os capitães nos carros e os cavaleiros de Faraó se afogaram (Êxodo 15.4). Notar no mar a pouca profundidade no início da travessia pela sua tonalidade mais clara e a parte mais escura onde é mais profundo.
Periódicamente pesquisadores mergulham no local da travessia buscando materiais como ossos, cascos, rodas, restos dos carros egípcios entre outros objetos. É normal o mergulho de turistas em busca das belas paisagens submarinas e alguns até encontram esses materiais.
Abaixo estão alguns dos achados no fundo do mar em profundidades de até 60m a partir de 1978 por Wyatt:
Fêmur humano.
Agrupamento de costelas humanas
 

Alinhamento das rochas localizado na lateral da travessia. Naquele dia, o afastamento das águas criou um caminho limpo de obstáculos que parcialmente existe até hoje. Neste local, as formações de corais são bem diferentes das outras áreas do golfo

Rodas com eixos incrustados de corais.
Foram encontradas rodas de 4, 6 e 8 raios. As rodas de 8 raios só foram fabricadas na 18a dinastia dos faraós. O rei do Egito usou toda a sua frota de carros (Êxodo 14.6-7) com todos os tipos de rodas existentes. Estas foram encontradas próximas da costa árabe.
Duas rodas com eixo.
As rodas folheadas com metal (ouro com prata) cuja madeira se decompôs com o tempo, provavelmente eram dos carros dos oficiais, praticamente não foram cobertas pelos corais. Uma relíquia arqueológica!



Reconstituição retirando os corais de uma roda de 8 raios. Nota-se a ausência de um deles.
Roda de 6 raios com eixo. Um detector de metais submarino acusou presença de ferro nesta formação próxima da costa egípcia.

Os Hicsos, povo semita que conquistou e dominou parte do Egito durante cerca de um século, introduziram os carros de guerra no país. Foram expulsos pelo faraó Amósis (1540-1515 AC) alguns séculos antes do Êxodo. Esta mudança levou os hebreus à escravidão.
Foto de um carro egípcio da época. Era da 18a dinastia dos faraós e é notável a semelhança com as rodas encontradas no mar.
Em 1997 uma equipe de pesquisadores filmou o fundo do mar comprovando a descoberta de Wyatt. As imagens foram exibidas num programa de TV (1° video e 2° video).

Passagem por Mara, Elim e Refidim

Depois de 3 dias chegaram a um local chamado Mara onde as águas eram amargas (Êxodo 15.23). Em 1988 o explorador Bob Cornuke e seu amigo Larry Williams encontraram uma fonte de águas amargas próximo ao Mar Vermelho, no lado da Arábia Saudita. As fotos abaixo mostram o local.

O oásis de Elim onde haviam 12 fontes e 70 palmeiras (Êxodo 15.27).

Nos montes deste local arqueólogos Sauditas escavaram cavernas como a da foto abaixo. Informaram ao explorador Bob Cornuke que encontraram escrituras sobre a passagem de Moisés pelo local bem como as tumbas de Jetro e Zípora. Porém esta informação não foi confirmada.
A rocha em Horebe (Massá e Meribá), em Refidim, e uma vista da fenda por onde saía a água (Êxodo 17.6). Nota-se a erosão e o alisamento provocados pela nascente. Sua localização é próxima ao Monte Sinai (Êxodo 3.1), a menos de 24h a pé (Êxodo 19.1-2).


Ficaram alguns dias em Refidim. Foi aqui que Zípora, mulher de Moisés e seus 2 filhos (Gérson e Eliézer nascidos em Midiã) voltaram para casa contando a seu pai Jetro, como foi a fuga do povo. Em seguida, com seu pai e seus filhos, retornou para Moisés (Êxodo 18.1-4).
Também neste local ocorreu a guerra contra os amalequitas (Êxodo 17.8-13).

Na foto, o altar de Moisés "Jeová-Níssi" (O Senhor é Minha Bandeira) localizado cerca de 200m da rocha (Êxodo 17.15).


O Monte Sinai

A nomeação do tradicional Monte Sinai no Egito surgiu quando o Imperador Justiniano edificou o Monastério de Santa Catarina no ano de 527, dois séculos depois de Helena, mãe do Imperador Constantino, ter construído uma pequena igreja no mesmo vale, na península do Sinai, embora não tenha indícios arqueológicos nem relatos bíblicos do local. Mas em Êxodo 3.12 deixa claro que o monte verdadeiro fica fora do Egito e que Moisés esteve lá pastoreando quando vivia com seu sogro em Midiã.
A foto abaixo mostra o tradicional Monte Sinai que é visitado durante séculos por turistas e religiosos. O vale é pequeno e não tem espaço para acomodar mais de 2 milhões de hebreus (600 mil eram de homens que foram a pé) com seus animais e objetos.
O mapa abaixo mostra a sua posição geográfica e o trajeto (em vermelho) defendido por pesquisadores durante anos, mesmo sem achados que o comprovem. Mapas semelhantes estão nas Bíblias atuais.
A foto de satélite e o mapa mostram o trajeto defendido e em grande parte comprovado por Ronald Wyatt. O local chamado Etham (ou Etã) é próximo da cidade hoje conhecida como El Thamad.

O mapa abaixo mostra o trajeto pós-travessia. Notar que os hebreus voltaram a acampar em outro local do Mar Vermelho (Golfo de Ácaba) após terem saído de Elim (Números 33.10).
 

Em Êxodo 3.12 confirma que o Monte Sinai localiza-se fora do Egito e que Moisés esteve no local quando apascentava as ovelhas de Jetro, seu sogro e sacerdote de Midiã, região noroeste da Arábia (Êxodo 3.1). Portanto o Monte Sinai não poderia ser tão distante do local onde Moisés vivia, como vem sendo informado durante séculos.
Depois de realizadas buscas nas áreas da rota do Êxodo a partir de 1761, foi então encontrado na Arábia Saudita o que se chama hoje de o verdadeiro Monte Sinai. Neste lugar bastante amplo existem evidências mostradas nos livros de Moisés como pode-se ver nas fotos abaixo tiradas em 1984. Em Gálatas 4.25 confirma que o Monte Sinai fica na Arábia! Em árabe a região montanhosa se chama "Jebel El Lawz" e os árabes beduínos da região a chamam de "Jebel Musa" (Montanha de Moisés).

O local é até hoje conhecido como Horebe (Wadi Hurab)! Na verdade uma cadeia de montes que formam um "C" semelhante a um anfiteatro conforme mostra o mapa abaixo.


Mapa da região - Horebe em cor de laranja.
O pico do monte está "queimado" (carbonizado) conforme descrito em Êxodo 19.18-20, 24.17 e Deuteronômio 4.11. Exploradores quebraram algumas rochas e comprovaram que são de granito e escuras apenas por fora! É o local mais alto da região (mais de 60 metros de altura). Fica ao centro e na parte traseira da montanha.
Vista do pico para Refidim.
A rocha com a fenda está localizada no monte menor no centro da foto.
A foto de satélite abaixo mostra a diferença geográfica entre o tradicional Monte Sinai em AZUL (na península do Sinai), e o encontrado com evidências em AMARELO (na Arábia Saudita). Em VERDE a praia onde acamparam os hebreus e a travessia do Mar Vermelho (no Golfo de Ácaba).
Outra foto de satélite com mais detalhes.

A Primeira Terra Santa dos Hebreus (Êxodo 3.5)
Outras evidências encontradas no local onde os hebreus teriam permanecido por cerca de 2 anos recebendo as leis e os estatutos. A foto mostra a vista para a área sagrada e para o arraial.
A: Casa da Guarda Árabe. Ao tomarem conhecimento das descobertas os árabes reconheceram a importância do local, declarando-o um sítio arqueológico.
B: Altar do Bezerro de Ouro (Êxodo 32.5,19). Situado ao pé de um monte pertencente a Horebe em frente ao Sinai a cerca de 1500 metros deste.
C: As doze colunas (Êxodo 24.4).
D: Altar de terra ao pé do monte (Êxodo 20.24 e 24.4).
E: Barreira de poços feita por Moisés para delimitar a área sagrada (Êxodo 19.23). O arraial dos hebreus situava-se atrás, da esquerda para a direita cobrindo toda a área entre os montes.
É evidente o contorno (em azul) da marca deixada pelo ribeiro que descia do monte até o arraial (Deuteronômio 9.21).
A água descia e acumulava nos poços dando condições ao povo de viver no local. Foram encontrados diversos vestígios desses poços conforme a foto abaixo (ver "well").
Platô de onde foi tirada a foto da área sagrada e do arraial em 1984.
No monte em frente ao pico existem pedras em forma de tábuas (Êxodo 24.12). Notar que há uma árvore crescendo entre as pedras. Logo abaixo destas existe uma caverna (parte escura um pouco abaixo do centro da imagem). Acredita-se ser a mesma na qual Elias se refugiou quando temeu a Jezabel (1 Reis 19.8-9), esposa do rei israelense Acabe.
Vista de dentro da caverna. Talvez tenha sido usada por Moisés.

Mapa arqueológico do local.


As partes restantes das doze colunas e do altar (Êxodo 24.4). Os árabes o desmontaram levando parte das pedras para uma mesquita na cidade de Hagl assim que as autoridades tomaram conhecimento das descobertas de Ronald Wyatt. Moisés é reconhecido pelos árabes como profeta.
O altar do bezerro de ouro feito por Arão (Êxodo 32.5) que foi reconhecido pelas autoridades árabes como um tesouro arqueológico, sendo vigiado por guardas.
Muitos desenhos (petróglífos) de vacas e touros no estilo egípcio foram encontrados no altar. Os árabes ficaram admirados com a descoberta pelo fato deste estilo não ter sido achado em qualquer outro lugar na Arábia Saudita. Aqui estão alguns deles:
Todo esse tesouro arqueológico foi encontrado conservado e praticamente intacto devido ao fato da região ser no meio do deserto, longe de oásis como o de Elim, ainda existente.

Al Bad - Moradia de Jetro?
Um antigo mapa encontrado na Arábia mostra que a cidade de Al Bad teria sido o local onde o sogro de Moisés morava provando que o sacerdote de Midiã era conhecido e respeitado.
Está localizada a sudoeste do Monte Sinai e no mapa maior está assinalada pela seta inferior.
A foto abaixo mostra a região onde Moisés viveu 40 anos com sua nova família depois de fugir do Egito.



Outro Monte Sinai?
Recentemente foi sugerido um "terceiro Monte Sinai" no deserto do Neguebe na fronteira entre Israel e o Egito, chamado de Monte Carcom que em hebraico significa "Monte de Deus" e fica entre o Golfo de Ácabe e o Mediterrâneo. Foram encontrados acampamentos circulares feitos com pedras, um desenho com 10 retângulos em uma pedra (foto abaixo) e 12 pedras posicionadas lado a lado em forma de colunas.
Mas em Êxodo 13.17-18 relata que os hebreus foram para o oriente pelo caminho do sul, próximo ao Mar Vermelho, basicamente a mesma direção que tomou Moisés quando fugiu do Egito. A diferença é que desta vez Deus mandou Moisés voltar e ir até a praia.
O monte Carcom pode ter sido lugar de um dos acampamentos de Moisés como nos dos montes Sefer e Hor (Números 33.23 e 37), por exemplo. Todos esses montes podem ter outros nomes nos dias de hoje. Além disso o que contraria as descobertas é a datação feita do local: 2200 AC, ou seja, cerca de quase mil anos antes do êxodo, antes até mesmo de Abraão! Não há evidências suficientes para afirmar que o povo hebreu tenha acampado naquele local.

Imagens de Satélite da Região



Conclusão
De todos os achados e descobertas estas são incontestáveis: As colunas comemorativas no local da travessia, os restos dos carros dos egípcios a mais de 30m de profundidade e o pico do monte carbonizado.


Reportagens do jornal Discovery Times sobre os achados arqueológicos